Oliveira Salazar foi ditador fascista que conduziu os destinos de Portugal durante quatro décadas. O seu modelo de organização da sociedade, da política e da administração perdurou para além da sua morte, continuado a definir o imaginário das instituições e da sociedade.
Porém, Salazar era um homem camponês, simples e desconfiado, que viveu pobremente toda a vida e cuidava minuciosamente da pátria portuguesa. Nunca se libertou da sua origem campestre, nunca casou e não teve filhos, despertava interesse nas mulheres, mas não se entregava. Era uma espécie de velho monge celibatário, que dedicou toda a sua vida a edificar o seu modelo de Estado e sociedade.