Este livro pretende repensar os efeitos do colonialismo português no tempo actual da pós-colonialidade portuguesa partindo de uma reunião polifónica com as gentes do ‘Sul’, com investigadores, pensadores, escritores, jornalistas e investigadores portugueses num ‘frente-a-frente’ reflexivo sobre os seguintes tópicos: a) as narrativas de vida e de identidade no tempo colonial b) o encontro entre a realidade humana da experiência ultramarina e a realidade da metrópole sócio-cultural, política e económica do pós-25 de Abril c) a consciência histórica de Portugal mediante as suas Outras-gentes e o modo como Portugal se tem representado a si mesmo, ora como nação que celebra a sua epopeia lusotropicalista, ora como nação europeia d) os vários retratos da pós-colonialidade portuguesa. Esta tentativa de diálogo foi possível partindo de uma opção metodológica inspirada na proposta teórica do sociólogo Boaventura de Sousa Santos, a sociologia das ausências, e redefinida aqui como sociologia pós-colonial das ausências, cujo objectivo é reflectir o que é, hoje, a pós-colonialidade portuguesa.