Diálogos Urbanos é um livro sobre proximidades e distâncias entre e dentro das cidades. Escrito com um olhar crítico, o livro enfrenta o desafio duplo de revelar aquilo que estas proximidades e distâncias mostram e aquilo que tornam invisível ou escondem. Diálogos Urbanos põe as cidades a falar de si, com outras, e a desvendar algumas das ressignificações que atingem os seus territórios, as suas expressões de cultura e os seus patrimónios. São diálogos tecidos em português, porque é essa língua que aproxima e distancia as cidades portuguesas e brasileiras estudadas. Aqui, o Porto e S. Paulo além o castiço Bairro Alto e o paulistano Bairro da Luz mais além, as Praças da Sé (de Lisboa e de São Paulo). Acolá, Coimbra dialoga com Fortaleza, como fazem também, uma com a outra, as investidas modernas do Parque das Nações e da Faria Lima, ou o Santo António de Lisboa e o seu homónimo amazónico, ou ainda o samba e o fado patrimonializados… Tudo tão próximo e tão familiar… Ao mesmo tempo, tudo tão estranho e tão distante...